Crítica | Conversando sobre O Irlandês

 Crítica | Conversando sobre O Irlandês

Me lembro quando haviam comentários do diretor ou mesmo “bônus” sobre uma obra quando ela era lançada em home vídeo — algo bastante relevante quando saíam os populares “DVDs duplos” com um disco do filme e um apenas com informações extras -, algo que acabou se perdendo com a expansão do streaming, pois não havia essa necessidade de entregar um conteúdo a mais na tentativa de valorizar o produto.

Entretanto, Conversando sobre O Irlandês ( The Irishman: In conversation) é exatamente este recorte, algo que facilmente poderia ser incluso em um “disco 2” de uma versão em mídia física — caso esta viesse a existir. É o “por trás das câmeras” que qualquer cinéfilo sonha em assistir, trazendo Martin Scorsese, Joe Pesci, Robert DeNiro e Al Pacino para uma mesa de jantar onde, como velhos amigos, debatem sobre a produção com piadas internas, reflexões e curiosidades, como os comentários sobre a movimentação dos atores — todos na faixa dos 70 — ao filmarem sequências onde seus personagens são mais jovens. São comentários que não apenas agradam devido o companheirismo do diretor e seu elenco, como também lançam um novo olhar sobre a performance do trio.

O modo como a obra, mesmo em seus curtos 20 minutos, toca no assunto de “fazer cinema” também é importante. Scorsese divaga sobre as tecnologias e como, por exemplo, não poderia fazer O Irlandês com atores mais jovens dividindo a tela com os veteranos, pois precisaria explicar para eles detalhes que DeNiro, Pacino e Pesci já trazem consigo, além de manter uma coesão na atuação — por que ensinar um jovem ator a replicar o modo de falar e se mover de DeNiro se o próprio DeNiro já faz isso, afinal? Dessa forma, é bastante interessante ver os comentários deles sobre o atual cinema e o processo de direção e, principalmente, atuação conforme novas tecnologias surgem. E, por sua vez, como tornaram possível O Irlandês acontecer da forma que Scorsese idealizara.

Por sua vez, fica claro que Conversando sobre O Irlandês seria exatamente como esses antigos extras do DVD, mas recortado e transformado neste curta-metragem documentário quase avulso à obra, solta no catálogo do streaming. E isso não é um problema algum, afinal de contas, se for para entregar uma conversa de alto nível como esta, que venham mais produções assim. Afinal, no caso desta obra com presenças tão ilustres quanto estas, poderia facilmente ter 3h40…

Originalmente publicado no Medium.com em 20 de janeiro de 2020.

Adam

https://adamwilliam.com.br

"Os filmes existem, é por isso que eu assisto!" Não é exatamente um "crítico de cinema", mas curte o termo "Filmmelier". Sonha em crescer e ser o Homem-Aranha um dia. Acredita que a vida não é sobre o quão forte bate, mas o quanto se aguenta apanhar. Mestre Pokémon, Sonserino e assíduo visitante da Terra Média.

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *